AJUDACOMPRA

COMO DIMINUIR O VALOR DAS PARCELAS DE UM FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO?

A aquisição de uma casa ou de um apartamento é sempre um momento positivo na vida de qualquer pessoa, seja pela possibilidade de sair do aluguel, obter renda passiva ou simplesmente aumentar o próprio patrimônio. Ainda assim, é muito importante saber como diminuir o valor das parcelas de um financiamento imobiliário.
O fato é que esse tipo de empréstimo pode contar com vantagens interessantes, mas como envolve quantias elevadas e um prazo de pagamento muito extenso, ter estratégias inteligentes pode ser crucial para o seu lado financeiro. Continue lendo o artigo e aprenda mais sobre o assunto!

Afinal, como é calculada a parcela do financiamento?

Em uma compra tradicional de uma casa, apartamento ou qualquer outro tipo de propriedade, o mais comum seria o comprador pagar uma quantia de dinheiro ao vendedor, que, em troca, transferiria a titularidade do bem. No entanto, pelos altos valores envolvidos nesse tipo de transação, pegar um empréstimo acaba sendo uma boa saída.
Dessa maneira, o interessado precisa recorrer a um serviço de crédito, oferecido por uma entidade financiadora, que pode ser um banco, instituição financeira ou até mesmo uma construtora. Essas empresas avaliarão a capacidade de pagamento e a saúde econômica do indivíduo, cedendo o valor para que ele realize a aquisição.
O mais comum é que a pessoa dê uma entrada à vista, com recursos próprios, negociando o restante em prestações mensais, que serão dívidas por anos ou mesmo décadas. No contrato firmado, constarão todos os dados importantes e a unidade fica em nome do comprador, mas ele precisará liquidar o saldo remanescente do acordo.

Quais fatores interferem na parcela do financiamento?

Naturalmente, as empresas não podem dar prejuízo e, por isso mesmo, elas utilizam diversas estratégias para avaliar o risco, calcular o valor das prestações e obter garantias de que o que foi emprestado trará retorno. Essa situação é fundamental para a saúde do setor, que depende dos financiamentos imobiliários para se desenvolver. 
Enquanto alguns fatores podem deixar as parcelas até mesmo mais altas, outras trazem mais segurança e podem tornar o empréstimo mais interessante para o comprador. Clientes com muitos anos de relacionamento com o banco, por exemplo, tendem a obter vantagens, assim como os que têm boa estabilidade e salários altos no emprego.
Também é muito importante ter o nome limpo, pois a existência de outras dívidas tende a implicar em dificuldades para arcar com o combinado. Para finalizar a conta, entram na equação a entrada, o valor financiado, eventuais taxas administrativas, o sistema de amortização escolhido, seguros e assim por diante.

Quais são as vantagens de fazer um financiamento?

Algumas pessoas pensam que financiar um imóvel é o mesmo que obter uma dívida por muito tempo, mas o fato é que, embora isso não seja mentira, trata-se de uma escolha estratégica e coerente. Ao optar por um financiamento, você faz uma aquisição importante, pode sair do aluguel e aumentar seu patrimônio de maneira administrável.
Como se isso não bastasse, estamos em um momento no qual a economia se mostra vantajosa para quem quer comprar, com taxas de juros mais baixas e facilitação de crédito. A compra de propriedades oferece um histórico de retorno garantido, seja por meio de uma futura venda com valorização ou obtenção de renda passiva por meio de aluguéis.

Quais as dicas para diminuir a parcela do financiamento?

Agora que você já entendeu como é calculada a parcela do financiamento, quais são os principais fatores que interferem na precificação e as vantagens de financiar um imóvel, chegou a hora de conhecer algumas dicas para que sua prestação caiba no seu bolso. Continue lendo e descubra como fazer isso.

Pesquise muito e faça simulações

O primeiro passo para diminuir a parcela do financiamento é pesquisar bastante e fazer o máximo de simulações que você conseguir, em empresas distintas. Afinal, cada banco, instituição financeira ou construtora oferece, naturalmente, condições e taxas de juros diferentes, de acordo com as suas políticas internas e interesses.
Você deve conversar bastante com o funcionário designado para atendê-lo, anotando o máximo que puder e fazendo uma avaliação minuciosa das taxas dos juros, das formas de amortização oferecidas e do prazo. Aliás, quanto mais extenso for o período disponibilizado para o pagamento, menor será a prestação.

Aumente o valor da entrada

Outra estratégia muito comum no mercado imobiliário, utilizada para reduzir as parcelas do financiamento, é aumentar o valor da entrada. Com isso, o saldo remanescente fica menor e você terá uma prestação diminuta, que pode caber com mais facilidade no seu bolso. Por isso, não é recomendável ter muita pressa nessa aquisição.
Eventualmente, com mais alguns meses ou anos, é bem provável que você possa juntar um dinheiro a mais, o que comprometeria menos os seus recursos a longo prazo. Dependendo do seu momento e suas necessidades, pode até mesmo ser o caso de vender um carro ou até de pedir emprestado para algum familiar próximo.

Use o saldo do Fundo de Garantia

Por fim, você não pode deixar de considerar a utilização do saldo disponível do seu FGTS, sigla para Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Essa é uma excelente opção para quem está pensando em investir em imóveis, até porque a criação desse dispositivo foi pensada justamente como uma forma de fomentar o segmento.
Também por decorrência do baixo rendimento, que fica menor até mesmo do que o da poupança, você não deve hesitar em sacar o seu FGTS para diminuir o valor das parcelas, sempre que for viável. É possível fazer isso a cada 2 anos, para até 80% do valor em até 12 meses consecutivos, desde que não haja mais de 3 prestações em atraso.
Agora você já sabe como diminuir o valor das parcelas de um financiamento imobiliário e viu como essa opção pode ser vantajosa, seja porque você conseguiu guardar algum dinheiro a mais por mês, sacou o FGTS ou conseguiu uma quantia inesperada!
Gostou de aprender como diminuir o valor das parcelas de um financiamento imobiliário? Então, não deixe de conferir também nosso outro post sobre o que analisar ao comprar seu primeiro apartamento!

Deixe uma resposta